sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Boas Festas!

Está a chegar ao fim a temporada de VIAGEM A CASA DOS MEUS AVÓS! Aproveitem o período festivo para assistir às últimas sessões de 21 e 28 de dezembro, às 17h. 

VIAGEM A CASA DOS MEUS AVÓS (Teatro)
Sala Grande | 21 e 28 de dezembro | sábado | 17h | Entrada: entre €4 e €10 | Bilhete especial famílias (Pais e Filhos ou Avós e Netos): €10 | M4


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Jazz natalício

A temporada de música da OMT termina com um Combo de Jazz que O Teatrão acolhe como uma saborosa prenda para os dias natalícios que se seguem.

Combo de Jazz (Música)
Alunos do Conservatório de Música de Coimbra
Tabacaria | 19 de dezembro | quinta-feira | 22h | Entrada: €3 (preço único)

Nesta terceira sessão dos Combos de Jazz dos alunos do Conservatório de Música de Coimbra, o público poderá deliciar-se com algumas das melhores composições de Miles Davis, John Coltrane, Ted Grouya ou Tommy Wolf, entre outros. Como é habitual nestes concertos, haverá também lugar a muita improvisação. O último Combo de 2013 entra então no espírito da época com alegria e cumplicidade e prepara a chegada de 2014, ano em que a parceria entre o Conservatório de Música de Coimbra e O Teatrão será aprofundada.

No dia 19 de dezembro, o Combo contará com Pedro Jerónimo (Trompete), Joana Alhau (Canto), João Batista (Vibrafone), Tiago Batista (Piano), Francisco Soares (Baixo), Carlos Fernandes (Guitarra), Pedro Bem-Haja (Guitarra) e João Salada (Bateria).

Os combos de jazz são uma forma de proporcionar experiências performativas, no âmbito do pequeno ensemble, aos alunos do curso profissional do Conservatório de Música de Coimbra. A oportunidade de enfrentar o público e de assim crescer musicalmente permite a estes alunos oferecer o que de melhor têm vindo a aprender na sua jornada de descoberta do Jazz.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Família alargada

No próximo sábado, 14 de dezembro, a OMT vai voltar a encher-se com famílias suas vizinhas para participar em mais um CONDOMÍNIO VALE DAS FLORES, iniciativa que O Teatrão começou a organizar em 2011. Desde a sua primeira edição, O CONDOMÍNIO VALE DAS FLORES deseja criar na OMT um espaço de partilha onde, com vizinhos de todas as idades, possamos viver uma experiência comum que crie novos laços de vizinhança e abra outros olhares sobre o Vale das Flores.

Desta vez, os vizinhos estão convidados a participar numa tarde de atividades inspiradas no espetáculo VIAGEM A CASA DOS MEUS AVÓS: dentro do teatro, entre viagens reais e imaginárias, miúdos e graúdos vão descobrir "tesouros" dos avós e com eles inventar novas casas e viagens. No final, tudo termina com em casa dos avós: à mesa!

CONDOMÍNIO VALE DAS FLORES (Comunidade)
OMT | 14 de dezembro | sábado | das 15h às 19h | Entrada livre | M4


segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

O Teatrão vai de viagem!

Esta semana, para além dos espetáculos previstos para a Oficina Municipal do Teatro (OMT), haverá sessões para públicos fora da OMT. Assim, a "Viagem a Casa dos Meus Avós" vai no dia 4 de dezembro até Tondela para participar no 17º Finta - Festival Internacional de Teatro da Acert. O FINTA, a decorrer até 17 de dezembro, é um dos grandes acontecimentos culturais e teatrais que coloca Tondela no centro da atividade cultural da região centro e onde artistas e grupos nacionais e internacionais mostram os seus trabalhos mais recentes.

No final da semana, o espetáculo "Viagem a Casa dos Meus Avós", que já foi visto por mais de 2000 espectadores, regressa às sessões de sábado para público geral (17h) e aí acolhe todos os pais, filhos, avós e netos que queiram viajar com o elenco d'O Teatrão!

Mas as atividades d'O Teatrão não acabam aqui: no dia 5 de dezembro, quinta-feira, pelas 21h30, será apresentado no Hotel Tryp o espetáculo "Single Singers Bar".

VIAGEM A CASA DOS MEUS AVÓS (Teatro)
Tondela | Festival Internacional de Teatro da Acert
4 de dezembro | quarta | 10h e 14h30

Coimbra | Oficina Municipal do Teatro
7 de dezembro | sábado | 17h

SINGLE SINGERS BAR (Música/Teatro)
Hotel Tryp Coimbra 5 de dezembro | quinta | 21h30

Viajar na OMT com a imaginação

Como já vai sendo habitual em período de férias, O Teatrão proporciona a crianças e jovens a possibilidade de participar em atividades de formação na Oficina Municipal do Teatro (OMT). Durante quatro dias, de 18 a 21 de dezembro, os participantes irão realizar um workshop de Expressão Dramática e ter a oportunidade de conhecer o espaço da OMT, bem como o trabalho da própria companhia, que, nesses dias, estará em cena com o espetáculo "Viagem a Casa dos Meus Avós".

Com inscrições abertas para três faixas etárias distintas (dos 6 aos 9, dos 10 aos 13, e dos 14 aos 18), o WORKSHOP DE FÉRIAS resulta num trabalho contínuo de quatro sessões de 90 minutos em que, a partir da metodologia própria da Expressão Dramática, os interessados têm a oportunidade de uma experiência lúdica onde a sua imaginação trabalha a partir da exploração de objetos, do seu corpo, do espaço, da imagem, do som, e do texto.

As inscrições devem ser feitas na Oficina Municipal do Teatro até 16 de dezembro.
Para mais informações e contactos: 239 714013, 914 617 383 e info@oteatrao.com.

WORKSHOP DE FÉRIAS DE NATAL
Expressão Dramática a partir dos 6 anos
Sala de Ensaios | 18 a 21 de dezembro | Inscrição: 25 euros

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

À descoberta do Jazz

E eis que chega a segunda apresentação dos Combos de Jazz dos alunos do Conservatório de Música de Coimbra. No dia 28 de novembro estarão na OMT quatro instrumentistas: Flávio Martins (bateria), Christian Tavares (guitarra), Ivo Xavier (baixo) e João Martinho (eufónio).

  Este segundo combo traz à Tabacaria composições de Cole Porter, Thelonious Monk, Miles Davis, entre outros, para além de composições próprias dos intérpretes, improvisação e, claro, a boa disposição que o som "cool" do jazz sempre garante. Uma noite para descobrir o jazz pelo som e a sensibilidade de quem está agora a aprendê-lo e para descontrair ou beber um copo entre amigos.

Os combos de jazz são uma forma de proporcionar experiências performativas, no âmbito do pequeno ensemble, aos alunos do curso profissional do Conservatório de Música de Coimbra. A oportunidade de enfrentar o público e de assim crescer musicalmente permite a estes alunos oferecer o que de melhor têm vindo a aprender na sua jornada de descoberta do Jazz.

COMBO DE JAZZ (Música)
Alunos do Conservatório de Música de Coimbra
Tabacaria da OMT | 28 de novembro | quinta-feira | 22h | Entrada: €3 (preço único)
Próximo Combo: 19 de dezembro



terça-feira, 26 de novembro de 2013

OS CANTOS À TASCA: Taberna d'Aviz

Porque Coimbra também está n'OS LUSÍADAS

A derradeira sessão dos CANTOS À TASCA será dedicada à Coimbra que se encontra n'OS LUSÍADAS - não apenas a Coimbra da "mísera e mesquinha / que depois de morta foi rainha" (Inês de Castro), mas também a de outras personagens históricas. Esta sessão será ainda a que encerra a programação pelas tascas e tabernas de Coimbra, mesmo antes da última sessão do Integral que acontecerá no sábado, 30 de novembro a partir das 10h da manhã.

Ao fim de quase dois meses de um percurso que foi da Baixa até à Alta de Coimbra, passando pelo Centro da cidade, Os CANTOS À TASCA voltam, pois, ao ponto de partida, isto é, à Rua das Azeiteiras (na Baixa), mas desta vez à muito a propósito Taberna d'Aviz (Cantinho do Artista). Esta casa é gerida pelo Sr. Carino Ulisses e tem a particularidade de os seus menus serem dedicados à dinastia de Aviz, iniciada, como se sabe, por D. João I. Para quem quiser petiscar nesta próxima quarta-feira, pode escolher entre dobrada, cavalinhas ou punheta de bacalhau, bem acompanhadas de vinho a copo.

OS LUSÍADAS EM COIMBRA
OS CANTOS À TASCA - "Coimbra n'OS LUSÍADAS"
Taberna d'Aviz (Cantinho do Artista)
Rua das Azeiteiras, nº 3-5 | 27 de novembro | quarta-feira | 21h30 | Entrada livre


segunda-feira, 25 de novembro de 2013

OS CANTOS À TASCA - Taberna do Romal

UMA GRANDE HISTÓRIA

A última semana do projeto "OS LUSÍADAS em Coimbra" começa no nº 30 do Largo do Romal, na Taberna nascida em 1933 e que hoje é propriedade do Sr. Norberto Lucas. A Taberna do Romal é muito pequena, pelo que quem quiser garantir lugar terá que vir antes da hora e petiscar um dos variados pratos que a casa disponibiliza e dos quais se destacam papas laverças, pataniscas e petinga de escabeche.

Nesta penúltima sessão dos CANTOS À TASCA, o ator António Fonseca falará excertos d'OS LUSÍADAS escolhidos a partir do tema "Dias e Noites". Ao longo de todo o poema existem inúmeras referências espacio-temporais que nos permitem perceber como Camões quis, sem dúvida alguma, que OS LUSÍADAS fossem a narração de uma grande história. António Fonseca partilhará com os presentes alguns versos retirados de todos os Cantos e que se enquadram nas categorias de Tempo e Espaço que nos permitem ir acompanhando as peripécias e os acontecimentos narrados na obra.

OS LUSÍADAS EM COIMBRA
OS CANTOS À TASCA - "Dias e Noites"
Taberna do Romal
Largo do Romal, nº 30 | 25 de novembro | segunda-feira | 21h30 | Entrada livre

António Fonseca na Adega Paço do Conde

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Canto Coletivo

OS LUSÍADAS andam há várias semanas a ser falados, em separado, por Coimbra: tascas e tabernas, restaurantes, escolas, Casa da Escrita têm ouvido excertos da obra. Chegou agora o momento de serem falados integralmente, no mesmo dia, das 10h da manhã às 24h. 

Faltam palavras para descrever o acontecimento que é escutar OS LUSÍADAS ditos. Mais do que a literatura, emerge a consciência de Camões, capaz de capturar um ponto de viragem da história de Portugal, o reinado de D. Sebastião, ao mesmo tempo que recapitula os pontos anteriores dessa história. António Fonseca faz acompanhar a récita do texto integral com histórias, comentários e referências que vão revelando os significados ocultos da obra e contextualizando o interesse e importância de OS LUSÍADAS hoje, no dealbar de mais um século.

Nos dias 23 e 30 de dezembro, hora após hora, todos poderão seguir este acontecimento. Às 23h, hora do Canto X, António Fonseca partilhará o palco da OMT com mais de 80 pessoas que, com ele, falarão esta derradeira parte do poema.

OS LUSÍADAS (VERSÃO INTEGRAL)
OMT | 23 e 30 de novembro | sábado | das 10h às 24h | Entrada: €3 (um canto); €5 (dois cantos); €10 (cinco cantos) e €15 (dez cantos)

10h: Canto I | 11h: Canto II | 12h: Canto III | 15h: Canto IV | 16h: Canto V | 17h: Canto VI | 18h: Canto VII | 19h: Canto VIII | 22h: Canto IX | 23h: Canto X


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

OS CANTOS À TASCA: Adega Paço do Conde

DO "VIL METAL"

A 20 de novembro, OS LUSÍADAS assentam arraiais no restaurante Adega Paço do Conde para uma sessão extra e muito especial. Desta vez, as estrofes serão escolhidas em função de um tema sério e antigo: a CORRUPÇÃO. Lembramos, a propósito, como Camões lamenta a importância atribuída ao "vil metal", origem de corrupção e traição.

Esta sessão especial será enriquecida pela presença do Professor Paulo Morais, ex-Vice Presidente da Câmara Municipal do Porto e autor do livro "Da Corrupção à Crise - Que fazer?". É também docente do ensino superior nas áreas da Estatística e Matemática e diretor do Instituto de Estudos Eleitorais da Universidade Lusófona do Porto. Tem desenvolvido investigação na área das sondagens, sistemas eleitorais, desenvolvimento e qualidade de vida. Na Câmara Municipal do Porto (2002-2005) foi responsável pelos pelouros do Urbanismo, Ação Social e Habitação. Na sequência dessa sua experiência, tem denunciado ativamente crimes urbanísticos e os meandros da corrupção associados a este domínio. Atualmente, é também membro do grupo de trabalho para a revisão do Índice de Perceção da Corrupção, levada a cabo pela sede da TI, e vice-presidente da Associação Transparência e Integridade.

A Adega Paço do Conde é um dos mais característicos restaurantes da Baixinha, servindo pratos da cozinha tradicional portuguesa e sendo conhecido pelos seus grelhados na hora de carne e peixe, a chanfana e a vitela assada.

OS CANTOS À TASCA - "Corrupção"
Adega Paço do Conde
Rua do Paço do Conde | 20 de novembro | quarta | 21h30 | Entrada livre


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Como se decoram 8816 versos?

Na terça-feira, 19 de novembro, a OMT tem o privilégio de receber o documentário "8816 versos", de Sofia Marques, que regista a aventura que tem sido decorar OS LUSÍADAS e viajar com eles pelo país fora. Sofia Marques acompanhou durante mais de um ano o ator Fonseca nessa viagem e realizou um tocante filme que documenta o percurso do ator, desde os momentos solitários de fixação do texto, passando pela preparação do Canto X com populações locais, até à apresentação em Guimarães Capital Europeia da Cultura. Este documentário integrou a seleção oficial do Doclisboa'13 e foi finalista do prémio de realização na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo.

"Diz-se que Luís Vaz de Camões terá demorado cerca de 20 anos a escrever os 8816 versos que compõem Os Lusíadas. O ator António Fonseca dedicou 4 anos da sua vida a torná-los seus. Na viagem que empreendeu para chegar à falação d'Os Lusíadas, António Fonseca deu os versos de Camões a ouvir e a dizer. A multiplicação dos versos pelas vozes de famílias vimaranenses no Canto X somou-se à inscrição dos dias, dos meses, dos anos de que o ator precisou para preparar a apresentação integral da obra no dia 9 de Junho de 2012 em Guimarães, Capital Europeia da Cultura. Este documentário acompanha o ano que antecede essa apresentação final." - Sofia Marques

OS LUSÍADAS EM COIMBRA
Uma co-produção O TEATRÃO/SUL em parceria com a ROUGHCUT

8816 VERSOS (DOCUMENTÁRIO)
De Sofia Marques | Produção: Roughcut
OMT | 19 de novembro | terça | 21h30 | Entrada: €3 (preço único)


Ficha Técnica | 8816 versos
Um filme de Sofia Marques com António Fonseca

Realização - Sofia Marques Imagem – Sofia Marques, Paulo Abreu, Nani Espinha, Ricardo Rezende, Micael Espinha e Pedro Macedo Som – Patrícia André, Sofia Marques e Frederico Gracias Edição de Imagem – Francisco Moreira Música Original e Versões de “Piano Trio op. 100” de Franz Schubert – Jon Luz Narração de excertos do ‘Diário’ de António Fonseca – Sofia Marques Mistura – João Eleutério (Armazém 42) Design & Layout – David Gabriel e João Jerónimo Direção de Produção – Patrícia André Produção Executiva – Pedro Rodrigues Produção – Roughcut Apoios Financeiros – Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação Cidade de Guimarães 
Documentário | versão longa | 78’ aprox. | Portugal | 2013 © Roughcut 2013 
Trailer: http://www.roughcut.pt/8816/

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

O Teatrão estreia VIAGEM A CASA DOS MEUS AVÓS

DE MÃO DADA COM OS AVÓS

Os avós costumam ocupar um lugar central nas nossas vidas: o da ternura, da brincadeira cúmplice e sem regras, do amor incondicional, o lugar onde nos sentimos seguros e autênticos. Ao mesmo tempo, os avós também já foram netos e trazem consigo memórias que se estendem por várias décadas.

Foi com este material tão rico e próximo de nós que decidimos embarcar numa viagem que explora este imaginário das relações que existem entre avós e netos - mergulhamos carinhosamente nesse mundo e estudamos o que é ser avô e neto hoje: o mesmo que há 50 ou 100 anos? Ainda há diferenças entre os "avós do campo" e os "avós da cidade"? Será que brincamos da mesma forma, contamos as mesmas histórias ou nos zangamos pelas mesmas razões? E o que acontece quando os netos decidem investigar os armários dos avós?

Entre sonhos, sabores, músicas e segredos, VIAGEM A CASA DOS MEUS AVÓS, a 64ª produção d’O Teatrão, transporta toda a família para um universo muito próprio que todos reconhecemos e onde adoramos entrar de mãos dadas. Neste espetáculo que quase dispensa a palavra, as cenas sucedem-se ao ritmo próprio da imaginação e das brincadeiras de criança e convoca avós e netos de hoje e de sempre!

VIAGEM A CASA DOS MEUS AVÓS (TEATRO)
O Teatrão
Sala Grande | 14 de novembro a 28 de dezembro | segunda a sexta | 10h30 e 14h30 (sessões para escolas) | sábado | 17h (público geral) | Entrada: entre €4 e €10 | Bilhete especial famílias (Pais e Filhos ou Avós e Netos): €10 | M4 
Nota: o espetáculo interrompe nos dias 23 e 30 de novembro (sábados)

©Carlos Gomes (fotografia de ensaio)

FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA
Uma criação de: Ana Bárbara Queirós, Margarida Sousa, Nuno Carvalho (Elenco) e Inês Mourão A partir de uma ideia original de: Isabel Craveiro Desenho de Luz: Alexandre Mestre Cenografia e Figurinos: Filipa Malva Montagem de Banda Sonora: Rui Capitão Cabeleireiro: Carlos Gago (Ilídio Design) Fotografia: Carlos Gomes Grafismo: Unit-Lab Costureira: Fernanda Tomás Construção e montagem de cenário: José Baltazar Direção de Produção: Cátia Oliveira Produção Executiva: Nuno Carvalho Direção Técnica: João Castro Gomes Equipa Técnica: Alexandre Mestre, João Castro Gomes, Jonathan Azevedo e Rui Capitão Produção: O TEATRÃO 2013

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

OS CANTOS À TASCA: Casa Chelense


Negócios, negócios, "Lusíadas" à parte

"Os Lusíadas" ditos de cor por António Fonseca dão meia volta e regressam à Baixa, mais concretamente à Casa Chelense, uma das mais famosas tabernas de Coimbra. Atualmente gerida pelo Sr. Manuel Santos, a casa serve especialidades deliciosas: dobrada, bucho, orelha, raia frita e um muito requisitado bacalhau frito. O público que tem acompanhado este circuito das tascas coimbrãs vem aumentando de sessão para sessão e por isso aconselhamos todos os interessados a vir com tempo para arranjar mesa.

 Desta vez, o tema abordado será de grande atualidade: Negócios. Por todo o seu poema épico, Luís Vaz de Camões faz inúmeras referências ao mundo do dinheiro, do comércio, dos negócios e de como as almas do seu tempo vão conseguindo, com maior ou menor dificuldade, sobreviver. Tempos diferentes, esses. Ou será que não? Nesta casa da Rua das Rãs, António Fonseca falará trechos d'Os Lusíadas que nos farão perceber que, no fundo, nem tudo é "composto de mudança"...

OS LUSÍADAS EM COIMBRA
OS CANTOS À TASCA - "Negócios"
Casa Chelense | Rua das Rãs, 1 | 18 de novembro | segunda | 21h30 | Entrada livre

António Fonseca na Casa Costa, 04/11/2013

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

A "nossa" Casa dos Avós

Para a criação de "Viagem a Casa dos Meus Avós", a mais recente produção d'O Teatrão, a companhia realizou nos últimos meses uma série de pesquisas que, para além do próprio espetáculo que estreia a 14 de novembro, originou também a instalação "A Casa dos Avós", que estará patente no edifíco da Arte à Parte e que serve como "aperitivo" para o espetáculo.

Para esta instalação, O Teatrão escolheu uma casa aparentemente igual a tantas outras casas, na Rua Fernandes Tomás. Mas por essa casa já passou e viveu muita gente e, entre essa gente, muitos avós e netos. Percebemos, assim, que afinal essa casa já está ocupada pela memória, pelos passos, pelas vozes dessas pessoas - e por segredos que, quem sabe, possam ser partilhados com outros avós e netos! Convidamo-los, por isso, a "ocupar" uma pequena parte desta "casa" e a entrar com O Teatrão numa viagem que começa aqui, na Arte à Parte, e que continua na Oficina Municipal do Teatro a partir de 14 de novembro.

Tanto o espetáculo, como a instalação inserem-se no estudo que O Teatrão tem vindo a realizar sobre a nossa identidade e a tentativa de compreensão de como chegamos aos dias de hoje e de como vivemos este início de século. Para tal, nada melhor que trazer até nós os avós, autênticos reservatórios de uma memória que se estende do século XXI até ao século XIX.

"A Casa dos Avós" resulta do convite dirigido ao Teatrão para integrar a programação OCCUPY - OCUPAR EM NOME DE QUÊ, desenvolvida pela Casa da Esquina no âmbito das LINHAS CRUZADAS, uma parceria entre O Teatrão, Jazz ao Centro Clube (JACC), Círculo de Artes Plásticas de Coimbra (CAPC) e Casa da Esquina que procura, através da cooperação e troca artística, oferecer ao público de Coimbra um espaço de criação, experimentação e fruição das artes.

A Casa dos Avós (Instalação)
O Teatrão
Edifício da Arte à Parte (entrada pelas traseiras da Rua Fernandes Tomás) | 7 a 10 de dezembro | quinta a domingo | 16h-20h | Entrada livre


quinta-feira, 31 de outubro de 2013

OS CANTOS À TASCA: Casa Costa

A arte de bem fazer um bom discurso 

Depois de passarem pela Alta de Coimbra, mais concretamente na Casa Pinto da Rua do Cabido, "Os Lusíadas" partem cidade afora e aproximam-se do centro: no dia 4 de novembro assentam arraiais no nº 3 da Rua Filipe Simões (em frente à Penintenciária de Coimbra) e confraternizam com os clientes da Casa Costa, ali fundada em 1930. A Casa Costa tem como proprietário atual o Senhor Rui Costa e está aberta das 7h às 24h, servindo diariamente, entre outros petiscos, migas com peixe frito, chanfana, pataniscas e, dizem as línguas conhecedoras, um frango delicioso.

Em época de tantas tomadas de posse, convidamos todos a estar presentes numa sessão d'Os Cantos à Tasca em que António Fonseca partilhará "Os discursos" verdadeiramente épicos que encontra na obra camoniana e que poderão servir de inspiração aos novos autarcas.

OS LUSÍADAS EM COIMBRA
OS CANTOS À TASCA - "Os Discursos"
Casa Costa | Rua Filipe Simões, r/c, 3 | 4 de novembro | segunda | 21h30 | Entrada livre


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Notas para bebés

Pela primeira vez, e a pedido de muitas famílias, O Teatrão acolhe um concerto para bebés e crianças pequeninas! De mão dada com os seus pais, poderão assistir ao “Circo Girassol, o concerto”, um verdadeiro circo musical por onde desfilam acrobacias com ritmo, sons, malabaristas, instrumentos que se calam ou fazem ouvir por truques de magia e canções de nariz vermelho. Num divertido ambiente circense e descontraído, as crianças têm liberdade para cantar, mexer-se e dançar ao ritmo de um repertório que mistura temas originais e arranjos de músicas conhecidas e que viaja por uma ampla gama de cores, do swing ao funk.

Como já é habitual na OMT, os bilhetes têm preços especiais para famílias.

CIRCO GIRASSOL (MÚSICA)
Concerto para bebés (dos 0 aos 5 anos) e famílias
Coletivo Gira Sol Azul
Sala Grande | 3 de novembro | domingo | 11h


segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Um destes dias

Pela segunda vez este ano, O Teatrão acolhe os Artistas Unidos, continuando assim a materializar a parceria celebrada entre ambas as companhias. "A 20 de Novembro" apresenta o ator João Pedro Mamede, que, sozinho no palco, expõe os mecanismos de humilhação que levaram um adolescente à vingança e ao suicídio e interroga a nossa responsabilidade.

A 20 de Novembro (Teatro)
De Lars Norén
Artistas Unidos / Cena Múltipla
31 de outubro e 1 de novembro | quinta e sexta | 21h30 | Preço: entre €4 e €10

Um aluno do ensino secundário apontou uma faca a três colegas e uma funcionária, em Massamá – escreve o Público. Havia uma folha A4 com um plano para matar sessenta pessoas – disse a Lusa. Foi a 15 de Outubro de 2013. Na mochila havia cinco very-light – escreve o jornal. Foi indiciado por terrorismo – disse a agência. A 20 de Novembro de 2006, na Alemanha, um massacre escolar empurrou Lars Norén a escrever uma peça a que chamou apenas “A 20 de Novembro” – tal a perplexidade perante o fatídico ato do rapaz que se suicidou depois de ferir trinta colegas, deixando para trás um diário online. Fossem outros os tempos, e um atentado suicida seria cometido em nome da causa republicana ou revolucionária. Mas nos tempos que correm, o suicida é mais vítima de bullying e videogames que outra coisa qualquer.

Dramaturgo, romancista e poeta sueco (Estocolmo, 1944), Lars Norén é um dos mais proeminentes dramaturgos contemporâneos. Encenador e director do Teatro de Gotemburgo, Norén escreveu a sua primeira peça aos 19 anos. A sua primeira publicação foi uma colecção de poemas, em 1963. Os seus textos são realistas e giram muitas vezes em torno de relações familiares e dos mais pobres e indefesos da sociedade. Em 1971, recebeu o prémio literário do jornal sueco Aftonbladet. A lista das suas peças é longa, com várias destas já representadas em Portugal, como Demónios (1997), Coragem para matar (1999), A noite é mãe do dia (2000), Categoria 3.1 (2001), O caos é vizinho de Deus (2001), Acto (2004), A ronda nocturna (2008), Do Amor (2011).

©Jorge Gonçalves

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

OS CANTOS À TASCA: Casa Pinto

Da Baixa até à Alta

As duas primeiras sessões de "Os Cantos à Tasca" animaram a Baixa de Coimbra. N'O Verdadeiro, António Fonseca teve que se desdobrar, falando algumas estrofes de "Os Lusíadas" com um pé fora e outro dentro da tasca, dadas as dezenas de pessoas que enchiam o interior da tasca e a calçada da Rua Direita.

Após uma pequena paragem, a viagem segue para a Alta, mais concretamente para a Casa Pinto, situada no nº 43 da Rua do Cabido. Esta tasca obteve licença nos anos 40 do séc. XX e é atualmente gerida pela Dª Adelina e seu genro, o Sr. Álvaro. Ponto de paragem de muitos estudantes que vivem ou passam pela Alta, o Pinto é famoso pelas suas bifanas, pelas moelas e pelo traçadinho. A casa é pequena, pelo que aconselhamos que guardem lugar a tempo de ouvir e ver António Fonseca falar sobre "Os Consílios" que encontra n'Os Lusíadas.

OS LUSÍADAS EM COIMBRA
OS CANTOS À TASCA - "Os Consílios"
Casa Pinto | Rua do Cabido, 43 | 28 de outubro | segunda | 21h30 | Entrada livre

António Fonseca falando "Os Lusíadas" n'O Verdadeiro da Rua Direita, na Baixa de Coimbra

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Um, dois, um, dois, três Combos de Jazz!

Os Combos de Jazz são uma forma de proporcionar experiências performativas, no âmbito do pequeno ensemble, aos alunos do curso profissional do Conservatório de Música de Coimbra. A oportunidade de enfrentar o público e de assim crescer musicalmente permite a estes alunos oferecer o que de melhor têm vindo a aprender na sua jornada de descoberta do Jazz.

Sempre à quinta-feira, os Combos de Jazz irão trazer ao Vale das Flores o som "cool" de um repertório que abrange "standards" do cancioneiro americano e composições dos próprios alunos, proporcionando ao público noites levemente agitadas e cheias de "swing".

O primeiro Combo, a 24 de outubro, terá a seguinte composição: André Pimenta, Carlos Borges, Diogo Vidal, João Cruz, Maria Nunes e Rodrigo Rama

Combo de Jazz (Música)
Alunos do Conservatório de Música de Coimbra
Tabacaria | 24 de outubro | quinta-feira | 22h | Preço: €3 (um Combo) - €6 (dois Combos)
Próximos Combos: 28 de novembro e 19 de dezembro


terça-feira, 15 de outubro de 2013

Brincar aos avós e netos

O Teatrão volta a abrir portas a avós e netos que queiram vir brincar com o elenco do espetáculo VIAGEM A CASA DOS MEUS AVÓS. O workshop está aberto a crianças entre os 4 e os 12 anos, e respetivos avós, e custa 5 euros.

WORKSHOP AVÓS E NETOS (Formação) | O Teatrão
Para crianças entre os 4 e os 12 anos de idade e avós de todas as idades
Oficina Municipal do Teatro | 19 de outubro | sábado | 11h-12h30 | Preço: €5 (1 criança + 1 adulto)

Fotografia de Carlos Gomes

No dia 12 de outubro, avós e netos misturaram-se e descobriram brincadeiras que uns e outros fazem quando estão sozinhos. Jogou-se futebol, leram-se histórias e andou-se em baloiços imaginários, mostrando, acima de tudo, que avós e netos gostam mesmo é de rir, brincar e passear juntos, construindo diariamente uma relação de cumplicidade e de afeto incondicionais. No próximo sábado, novos jogos e outras tantas fantasias encherão a OMT de mimos e gargalhadas.

O espetáculo VIAGEM A CASA DOS MEUS AVÓS parte desse universo de descoberta mútua e contínua que avós e netos experimentam no dia-a-dia e que, por sua vez, já os avós dos avós viveram. O estudo desta relação ancestral, que se reflete também na nossa cultura e comportamentos quotidianos, serve de inspiração à criação de um espetáculo onde se percebe que as relações de afeto se constroem ao longo da vida e que são, também elas, resultado do que nos deixou quem viveu antes de nós.

Estes workshops, bem como entrevistas que estão a ser realizadas à comunidade local, são parte da investigação que serve de base à criação deste espetáculo, que se insere no trabalho de pesquisa documental que a companhia vem desenvolvendo. VIAGEM A CASA DOS MEUS AVÓS estreia a 14 de novembro e estará em cena até 28 de dezembro de 2013.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

OS CANTOS À TASCA: O Verdadeiro

A nau com que António Fonseca seguirá em intensa viagem pela cidade de Coimbra já largou amarras. Na Tasquinha do Fado, entre copos de vinho e de chocolate com ginja de óbidos, tremoços e amendoins, e excertos de vários cantos de "Os Lusíadas", o ator disse ao que veio: "falar da vida". A vida é feita de grandezas e de misérias e nada melhor do que o grande poema camoniano para aí nos descobrir-nos e à nossa vida.

No próximo dia 14 de outubro, António Fonseca estará na taberna O Verdadeiro para dizer de cor mais estrofes de "Os Lusíadas", desta vez selecionadas a partir do tema "O Amor e a Carne". O Verdadeiro, sito na Rua Direita, nº 12, é uma das mais antigas tascas da Baixa de Coimbra. Tendo passado por várias mãos, é atualmente gerido por João Seco, que faz questão de servir a receita original de pés de borrego de chanfana, um prato que já raramente se encontra na cidade. Outra especialidade da casa são as costeletas de borrego panadas, sempre acompanhadas pelo vinho da casa. A entrada é livre.

OS LUSÍADAS EM COIMBRA 
OS CANTOS À TASCA - "O Amor e a Carne"
O Verdadeiro | Rua Direita, 12 | 14 de outubro | segunda | 21h30 | Entrada livre

António Fonseca na Tasquinha do Fado, 7 outubro 2013

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Proibida a entrada a Pais!

Nos dias 12 e 19 de outubro, O Teatrão abre as portas a um clube muito especial: o dos avós e netos. Em dois workshops de expressão dramática, e longe dos olhares dos pais, avós e netos irão brincar com os atores que estão a ensaiar a próxima estreia da companhia - "Viagem a Casa dos Meus Avós". Serão duas manhãs de sábado para avós e netos trocarem de papéis e porem os passeios, as brincadeiras e os mimos de cabeça para o ar.

"Viagem a Casa dos Meus Avós" é um espetáculo que explora o imaginário das relações que existem entre avós e netos e que procura compreender, a partir dessas relações, quem somos nós, portugueses, e que memória guardamos do que já vivemos e do que estamos a viver agora. Neste trimestre final - altura do ano em que mais se celebra a família -, O Teatrão continua a refletir sobre o que é essa memória individual e coletiva e cria um espetáculo inspirado nas relações entre avós e netos, um espaço de ternura e descoberta que se revela, a um só tempo, único e universal. Será, pois, um espetáculo dirigido a toda a família e idades - já que, um dia, fomos todos pequeninos!

WORKSHOP AVÓS E NETOS (Formação - Expressão Dramática)
Para crianças entre os 4 e os 12 anos de idade e avós de todas as idades
Oficina Municipal do Teatro | 12 e 19 de outubro | sábado | 11h-12h30 | Preço: €5 (1 criança + 1 adulto)


sábado, 5 de outubro de 2013

OS CANTOS À TASCA: Tasquinha do Fado

"Os Lusíadas" começam a sua jornada pela Lusa Atenas na Tasquinha do Fado (Rua das Azeiteiras). Propriedade do Sr. António Pereira e situada numa das mais características ruas da Baixinha de Coimbra, a Tasquinha do Fado é a "única tasca de Coimbra que serve ginja de Óbidos em copo de chocolate". Mas serve também polvo, posta mirandesa e costeleta de novilho. Entre duas garfadas e um copo de ginja, António Fonseca falará um dos cantos de "Os Lusíadas", levando-nos por uma viagem intemporal.

"OS LUSÍADAS" EM COIMBRA - OS CANTOS À TASCA
Tasquinha do Fado | Rua das Azeiteiras, 36-38 | 7 Outubro | 18h30 | Entrada livre 


sexta-feira, 4 de outubro de 2013

"Os Lusíadas" voltam a casa

Um ator sozinho em palco, a dizer Os Lusíadas de cor e salteado, é quase como um poeta a salvar o manuscrito das águas do Índico, depois de um naufrágio.

Faltam palavras para descrever o acontecimento que é escutar Os Lusíadas ditos. Mais do que a literatura, emerge a consciência de Camões, capaz de capturar um ponto de viragem da história de Portugal, o reinado de D. Sebastião, ao mesmo tempo que recapitula os pontos anteriores dessa história. António Fonseca faz acompanhar a récita do texto integral com histórias, comentários e referências que vão revelando os significados ocultos da obra e contextualizando o interesse e importância de Os Lusíadas hoje, no dealbar de mais um século.

Depois da estreia na Capital Europeia da Cultura, em Guimarães, e das apresentações no Centro Cultural de Belém e São Luiz, em Lisboa, Os Lusíadas chegam a Coimbra, onde António Fonseca começou por apresentar um a um os cantos do poema. A todos os cantos de Coimbra: os versos não serão ouvidos apenas n’O Teatrão. Dublin tem o seu dia de dizer Joyce e Espanha o dia de dizer Cervantes. Pois a Lusa Atenas terá semanas de Camões, um pouco por toda a parte.

A lenda de um Luís Vaz de Camões boémio e eterno apaixonado começa a contar-se por Coimbra, onde o poeta terá estudado os clássicos e sofrido as primeiras coitas de amor. Agora que o ator António Fonseca se prepara para dizer os dez cantos de Os Lusíadas, uma tarefa homérica, hercúlea e ciclópica, nada como recordar o lado humano tanto do poeta quanto do ator, que tornam tão impressionantes estas duas aventuras: a de escrever os 8816 versos de Os Lusíadas, e a de dizer de cor os 8816 versos de Os Lusíadas. O Teatrão, a SUL (em parceria com a Roughcut) e António Fonseca convidam toda a cidade para revisitar Os Lusíadas a partir de um ponto de vista muito diferente do habitual: o das pessoas comuns, que nunca leram senão algumas estrofes do poema. Por isso, começamos com uma série de visitas a tascas tradicionais de Coimbra, onde se podem comer petiscos os mais variados, entremeados com poesia, e seguimos com a apresentação de antologias do poema em escolas secundárias e na Casa da Escrita (numa parceria com o Centro de Estudos Camonianos da Universidade de Coimbra), para culminar no dia da récita com a participação no espetáculo de dezenas de amigos e espetadores, que vão dizer o último canto de Os Lusíadas em conjunto com o ator. Antes ainda, haverá oportunidade para assistir ao documentário "8816 versos" realizado por Sofia Marques e que regista parte da aventura que tem sido falar de cor "Os Lusíadas". 


segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Aquilo a que chamamos lar

O que poderão ter em comum jovens portugueses, russos, brasileiros e angolanos a viver em Portugal? A idade, desde logo, mas também uma Europa que vê os seus cidadãos cruzar identidades e questionar o seu lugar no mundo. HOME SWEET HOME é a tentativa de criar uma história comum a este grupo do Bando à Parte marcado pela e/imigração e pela relação entre culturas diversas num Portugal construído sobre a viagem e a promessa de melhoria das condições de vida. Juntando os que chegam e os que partem, o que acontece? E onde está, por fim, a nossa Casa e o nosso Eu?

O segundo ciclo do Bando à Parte, iniciado em 2012, tem a particularidade de ser maioritariamente constituído por jovens imigrantes de países do Leste europeu, de Angola e do Brasil. Ao fim de quase dois anos de aprendizagens e partilha de experiências, apresenta agora este exercício teatral que se estrutura numa narrativa dividida em quatro capítulos - Chegadas e Partidas, A casa, O trabalho, O resto.

HOME SWEET HOME (Teatro) 
O Teatrão | Projeto BANDO À PARTE 
Direção de Isabel Craveiro
Sala Grande | 3 a 5 de outubro | quinta a sábado | 21h30 | 6 de outubro | domingo | 17h | M6 | Entrada: €4 (preço único)

©Carlos Gomes


FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA DO PROJETO BANDO À PARTE: CULTURAS JUVENIS, ARTE E INSERÇÃO SOCIAL
Coordenação do Projeto: Cláudia Pato Participantes do Projeto: Alina Yurchenco, Carolina Fernandes, Catarina Pratas, Daniela Alves, Efim Zhidkov, Igor Freitas, Khusso Mulaza, Ksenia Chetvertkova, Lourenço Soma e Raquel Mensa Coordenação do exercício final: Isabel Craveiro Assistência: João Santos Desenho de Luz do exercício: Jonathan Azevedo Dispositivo Cénico, Adereços, Figurinos: dos participantes Recolha Sonora: Luís Antero (no âmbito do Território dentro de nós, projeto do JACC para o Linhas Cruzadas) Banda Sonora: Rui Capitão Fotografia: Carlos Gomes Grafismo: Unit-Lab Direção de Produção: Cátia Oliveira Direção Técnica: João Castro Gomes Equipa Técnica: Alexandre Mestre, João Castro Gomes, Jonathan de Azevedo, Rui Capitão 
O TEATRÃO 2013

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

"Ciao" Mundo!

JP SIMÕES volta a uma casa que já conhece, mas desta vez traz mais amigos e sons dos quatro cantos do mundo. O músico de Coimbra apresenta o seu mais recente trabalho - ROMA - e, com oito músicos em palco, promete uma noite muito mexida, com batidas que vão do afrobeat ao glam rock, passando pelo samba e o jazz - tudo territórios musicais que nos farão viajar com os pés bem assentes no ar.

ROMA, que atingiu o primeiro lugar no top de vendas nacionais, dá-nos um JP Simões mais festivo, mas mantendo a ironia das letras que exorciza os males, pessoais e do mundo. Esgotada a primeira edição (maio 2013), o álbum será reeditado já em outubro.

JP SIMÕES & BANDA RADIOACTIVA (Música)
Sala Grande | 28 de setembro | sábado | 21h30 | Preço: €12,5 (compra antecipada), €15 (compra no dia)

©Sara Abrantes

sábado, 21 de setembro de 2013

Teatro dentro do Cinema

PLAY | PAUSE, mostra de vídeo de Teatro contemporâneo organizada pela CASA DA ESQUINA e que constitui a próxima atividade das LINHAS CRUZADAS, "ocupa" a OMT com o filme que regista a performance em que o encenador argentino Mario Pensotii cria um retrato da vida da sua geração ao longo de 10 anos, num palco que não para de girar e que nos relembra a interminável marcha do tempo.

EL PASADO ES UN ANIMAL GROTESCO (Cinema) | Mario Pensotti (Argentina)
Tabacaria | 26 de setembro | quinta | 21h | Duração: 1h50 | Entrada livre

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Tabacaria a duplicar

Parece piada ou concorrência, mas não. A nossa Tabacaria, também ela albergue de múltiplos sentires artísticos, acolhe um espetáculo onde música portuguesa, brasileira, jazz e poesia se cruzam na muito particular visão deste trio de Coimbra.

TABACARIA (Música)
Tabacaria | 20 de setembro | sexta | 22h | Preço: €5 (preço único)

Formado em 2012, este grupo explora de forma livre vários géneros musicais, do jazz ao fado, passando pela música popular, a bossa nova ou a world music. A particularidade dos TABACARIA é que, para além de música que sabe bem ouvir, envolvem o público com criações musicais e poéticas: canções ou poesia dita com fundo musical e que utiliza textos do próprio grupo, de poetas e autores portugueses e de amigos com quem têm trabalhado na contrução desta linguagem híbrida, entre a música e a poesia.

Os TABACARIA são formados por Rui Sousa (guitarra e voz), Rodrigues Vila (percussão) e Vânia Couto (voz e guitarra), que o público também conhece dos projetos Macadame e Pensão Flor.


Abrir o baú do presente

Visto do presente, o passado é um lugar estranho e do qual é difícil, se não impossível, desligar. Um baú fundo de memórias que, à vez, tentamos esquecer ou lembrar. Já o teatro, sem o passado e sem a memória, não acontece. O Teatrão deste último trimestre de 2013 assume-se, por isso, como um cais onde acumulamos experiências recentes que não queremos deixar partir e onde continuam a cruzar-se pessoas, ideias e culturas. E como a nossa "aldeia é grande como outra qualquer", deste cais avistamos Portugal e a Europa, este imenso território de mil vozes e olhares, encontros e separações que nos guia na descoberta de novos mapas.

O sonho, o partir e o chegar, a utopia e a possibilidade de coletivo - ideias fundadoras do "Arruinados em três atos" - permanecem e inspiram tanto o exercício final do Bando à Parte, como o intercâmbio internacional que lhe antecede e que junta os nossos jovens a parceiros italianos e irlandeses. Mais para o final do ano, O Teatrão estreia VIAGEM A CASA DOS MEUS AVÓS, um espetáculo que propõe uma reflexão poética sobre a nossa relação com o Tempo e a Identidade e que, apesar de dirigido a todos, é carinhosamente dedicado a todos os avós e netos.

OS LUSÍADAS ditos de cor, autêntica epopeia do século XXI idealizada por António Fonseca, andarão pela cidade e encontram-se com o A 20 DE NOVEMBRO, dos Artistas Unidos. Antes disso, as quatro entidades das LINHAS CRUZADAS, sob o leme do Jazz ao Centro, exploram o TERRITÓRIO DENTRO DE NÓS e juntam-se à Casa da Esquina no projeto OCCUPY.

O baú reserva ainda umas quantas surpresas: um workshop com a revisitante MARINA NABAIS, uma TABACARIA dentro da Tabacaria, uma viagem a Roma com JP SIMÕES, três COMBOS de Jazz, JOAQUIM ESPADINHA e a sua poesia que fala, um concerto para bebés e, para reacender os corações, o SINGLE SINGERS BAR.

O passado pode ser um lugar estranho, mas é também inspirador de um "outro olhar para outro olhar", um reconfortante espaço de encontro e reconhecimento a que voltamos sempre - tal como este Teatrão, que vai ficando cada vez mais casa e cada vez mais cheio. Não se desligue: o baú está aberto! 


quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Boa vizinhança

VIZINHOS DO ROMAL (Teatro)
Largo do Romal | 13 e 14 de setembro | 19h | Entrada livre

Idealizado pelo Jazz ao Centro, TERRITÓRIO DENTRO DE NÓS é, depois do Conta-me como é, a segunda grande atividade desenvolvida pelas LINHAS CRUZADAS e envolve vários artistas de diferentes áreas, tendo como cenário largos e praças da Baixa de Coimbra. O Teatrão integra a programação com um exercício do Bando à Parte, que se mudou de armas e bagagens para o Largo do Romal, na Baixinha. Cruzando a vida dos seus habitantes com a sua própria circunstância - um grupo de adolescentes portugueses, russos, brasileiros e angolanos -, o BAP desenvolve um exercício de reflexão sobre o verbo "habitar".

©Carlos Gomes

O Território dentro de nós agrega um conjunto de intervenções artísticas que reflectem sobre a cidade contemporânea e as desventuras do seu espaço público. 
As LINHAS CRUZADAS tecidas por quatro estruturas culturais da Cidade de Coimbra atravessam a sua Baixa e revelam lugares e vivências. As praças e os largos, a gente que neles vive e que por eles passa, remetem-nos para as temáticas da origem e da comunidade, mas também do futuro e da imaginação. Afinal, este é o território que soçobrou perante o triunfo dos centros comerciais, mas que conserva a promessa de se reinventar com novos usos. Este é o território que perdeu população, mas que continua a atrair novos residentes. É um território convertido em local de passagem, mas cujas praças insistimos em reclamar. 
Que espaço público é este? E que arte é que nele cabe?

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Contacto Improvisado

Depois de um primeiro workshop em 2012, Marina Nabais regressa à OMT para uma nova formação em CONTACTO. A bailarina e coreógrafa parte da ideia do corpo como um “reservatório de informações próprias” e de algumas técnicas de “contact-improvisation” para chegar a uma linguagem singular, gerada no trabalho em duetos, trios ou grupos maiores. Para atores, bailarinos, estudantes e curiosos destas áreas artísticas.

WORKSHOP DE CONTACTO-IMPROVISAÇÃO (Formação)
Com Marina Nabais
Oficina Municipal do Teatro | 27, 28 e 29 de setembro | sexta, sábado e domingo | Horários: sexta 19h-23h, sábado 10h-14h, domingo 10h-14h | Preço: €60 (inscrições até 20 de setembro) / €70 (inscrições a partir de 21 de setembro)

© DR

Marina Nabais estudou na Escola Superior de Dança e na School for New Dance Development em Amesterdão. Em 2003, criou a associação cultural a menina dos meus olhos, onde faz da dança o motor e o elo de ligação entre os seus trabalhos como intérprete, coreógrafa, formadora e diretora artística.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Laboratório Artístico Internacional - "New Beginnings"

Na contagem decrescente para o final do segundo ciclo do projeto Bando à Parte juntamos jovens das periferias da Europa para discutir novos caminhos, novas Europas, novas democracias. Italianos, Irlandeses e Portugueses criam New Beginnings, um laboratório para sonhar uma nova Europa e que conta com o apoio do Programa Juventude em Ação, da União Europeia.



LABORATÓRIO ARTÍSTICO INTERNACIONAL (Formação)
Projeto Pedagógico d'O Teatrão | Bando à Parte
Coimbra | 8 a 15 de setembro

São 26 os jovens que vão participar no Laboratório Artístico Internacional New Begginings, uma iniciativa de residência e intercâmbio cultural a decorrer entre os dias 8 a 15 de setembro na Oficina Municipal do Teatro e na Baixa de Coimbra. Este Laboratório, apoiado pelo Programa Juventude em Ação, integra uma semana de trabalho de pesquisa artística na área do teatro entre jovens dos grupos do Bando à Parte (BAP), de A Tallaght Community Arts (Dublin, Irlanda) e da Associazione Marchigiana Activitá Teatrali - AMAT (Ancona, Itália). Trata-se de levar a cabo um intercâmbio entre jovens que frequentam programas destas associações e cuja dinâmica terá por base a discussão sobre políticas de emigração na União Europeia e a sua relação com a situação atual de crise. Esta temática está intimamente ligada ao trabalho que O Teatrão desenvolve atualmente com o segundo ciclo do BAP, já que este se constitui com uma matriz multicultural, incluindo jovens portugueses, russos, moldavos, cazaquistaneses, brasileiros e angolanos. O trabalho realizado durante esta semana irá também ser integrado no exercício que o BAP apresentará em outubro na Oficina Municipal do Teatro.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Classes de Teatro d'O Teatrão - Inscrições abertas!

Relembramos que continuam abertas as inscrições para as Classes de Teatro do ano letivo 2013/2014.

As Classes de Teatro são um espaço de aprendizagem e de experiência na área do teatro. Este programa é desenvolvido a partir do jogo dramático, construído através da exploração dos indutores da ação dramática: objeto, imagem, som, espaço e texto.

O objetivo das nossas Classes de Teatro é desenvolver com os alunos técnicas e métodos específicos da criação teatral, mas sem ter como último objetivo a criação de artistas. Pensamos que o contacto com essas ferramentas tem sobretudo a vantagem de facultar uma formação mais abrangente e completa onde se promove o contacto com novos mundos e com novas formas de pensar e se exercita o pensamento crítico sobre a realidade que nos rodeia.

Pretende-se que os participantes, por meio de exercícios e atividades lúdicas, adquiram o prazer pelo jogo teatral, estimulando e incrementando algumas técnicas para o concretizar, desenvolvam diversas formas de comunicação, desafiem a sua imaginação e criatividade e ampliem o interesse pela arte e pelo teatro em particular, ajudando-os a formar-se como seres integrais. Para isso, são usados objetos, imagens, sons, personagens, espaços, textos e músicas como indutores de jogo: cada um deles, com as suas múltiplas potencialidades expressivas, será colocado perante os alunos, que tentarão superar a sua utilidade prática, transportando-os para um outro domínio, o mágico, onde adquirem uma nova significação.


segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Projeto Pedagógico d'O Teatrão - Inscrições abertas para as Classes de Teatro

Depois de terminada a saga de ARRUINADOS EM TRÊS ATOS, estamos já a trabalhar na nova programação, que em breve será divulgada. Até lá, e porque em agosto não fechamos as portas da OMT, estamos já a receber inscrições para o próximo ano letivo das nossas Classes de Teatro. Para mais informações por favor telefone para 239 714 013 ou envie um email para info@oteatrao.com.



sexta-feira, 26 de julho de 2013

ARRUINADOS EM TRÊS ATOS - ATO III estreia a 31 de julho

ARRUINADOS EM TRÊS ATOS - ATO III (inserido no Festival Fusing)
31 de julho a 3 de agosto | Praça da Europa (Figueira da Foz) | 19h30 | Lotação Limitada
Entrada Livre sujeita a reserva




ARRUINADOS EM TRÊS ATOS

Dramaturgia: Jorge Louraço Figueira
Direção: Isabel Craveiro
Figurinos da trupe Faunos do Rio: Patrícia Mota
Direção Musical: Rui Lúcio
Consultor Artístico: Deolindo Pessoa
Grafismo: Unit.Lab
Fotografia: Carlos Gomes
Direção de Produção: Cátia Oliveira
Assistência de Produção: Bárbara Queirós e Rubi Girão (Estagiária)
Produção Executiva: Nuno Carvalho
Comunicação e Divulgação: Inês Mourão, Margarida Sousa e Pedro Lamas
Direção Técnica: João Castro Gomes
Equipa Técnica: Alexandre Mestre, João Castro Gomes, Jonathan de Azevedo, Rui Capitão
Direção de Cena: Pé de Cabra, Inês Maia, Elena Castro e Inês Gregório

ATO III
Praça da Europa (Figueira da Foz)

Elenco: O TEATRÃO | Ana Bárbara Queirós, Inês Mourão, Isabel Craveiro, João Santos, Jorge Louraço Figueira, Margarida Sousa, Nuno Carvalho, Pedro Lamas, Rosa Marques e Rubi Girão 
ALUNOS DAS CLASSES D’ O TEATRÃO | Beatriz Sequeira, Carina Santos, Carlos João Santos, Luísa Ramalho, Mariana Matos
PATEO DAS GALINHAS TEATRO DE BICO | Ana Paula Veloso, António Féteira, Beatriz da Silva, Donzília Freire, Laura Júlia Oliveira, Lígia Bugalho, Maria Helena Adão, Maria Isabel Ferreira, Maria José Gonçalves, Pavlo Konstantinovitch 
ASSOCIAÇÃO VIVER EM ALEGRIA | Anália Filipe, Conceição Toscano, Elizabete Barbosa, Fernanda Silva, Isabel Girão, Jorge Girão, Luís Ferreira, Maria Teresa Sucena
Participação dos Coletivos - CITEC, Grupo Cénico Amador da Portela, Grupo de Teatro do C.C.D.S. de S. Frutuoso, Grupo de Teatro de Formoselha, Grupo de Teatro de Sobral de Ceira, O Celeiro, TASS - Teatro Amador de S. Silvestre, Teatro Amador de Ribeira de Frades e Trai-La-Ró
Cenografia e Figurinos: Patrícia Mota
Vídeo e Desenho de Luz: Alexandre Mestre
Interpretação Musical: Canticus Camerae, Conservatório de Música David de Sousa, Coro das Pequenas Vozes das Figueira da Foz
Parceiros: Festival Fusing; Câmara Municipal da Figueira da Foz; Capitania e Porto da Figueira da Foz; S.E.F.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

ARRUINADOS EM TRÊS ATOS - ATO II estreia a 17 de julho

ARRUINADOS EM TRÊS ATOS - ATO II
17 a 20 de julho | Quinta das Pretas, Vila de Verride (Montemor-o-Velho) | 20h00 | Entrada Livre




ARRUINADOS EM TRÊS ATOS

Dramaturgia: Jorge Louraço Figueira
Direção: Isabel Craveiro
Figurinos da trupe Faunos do Rio: Patrícia Mota
Direção Musical: Rui Lúcio
Consultor Artístico: Deolindo Pessoa
Grafismo: Unit.Lab
Fotografia: Carlos Gomes
Direção de Produção: Cátia Oliveira
Assistência de Produção: Bárbara Queirós e Rubi Girão (Estagiária)
Produção Executiva: Nuno Carvalho
Comunicação e Divulgação: Inês Mourão, Margarida Sousa e Pedro Lamas
Direção Técnica: João Castro Gomes
Equipa Técnica: Alexandre Mestre, João Castro Gomes, Jonathan de Azevedo, Rui Capitão
Direção de Cena: Pé de Cabra, Inês Maia, Elena Castro e Inês Gregório


ATO II
Quinta das Pretas, Vila de Verride (Montemor-o-Velho)

Elenco: O TEATRÃO | Ana Bárbara Queirós, Inês Mourão, João Santos, Pedro Lamas, Rosa Marques e Rubi Girão 
CITEC | Carlos Cunha, Capinha Lopes, Fernando Campos, Joaquim Carraco, José Cação, Judite Maranha, Telmo Pinão
GRUPO CÉNICO AMADOR DA PORTELA | Ana Patrícia Nunes, Carlos Cabido, Gabriel Espírito Santo, Joana Matado, João Baía, Pedro Santana, Tatiana Machado, Tomás Matias 
GRUPO DE TEATRO DE FORMOSELHA | José Neves, Patrícia Cravo
O CELEIRO | Arménio Paiva, Teresa Roxo 
TRAI-LA-RÓ | Rui Almeida 
Cenografia e Figurinos: Cátia Barros
Desenho de Luz: Rui Capitão
Interpretação Musical: Banda Filarmónica e Coro Polifónico da Associação Filarmónica União Verridense
Parceiros: Centro Paroquial e Social de Verride; Câmara Municipal de Montemor-o-Velho; Junta de Freguesia de Verride; Centro Cultural de Verride 

domingo, 30 de junho de 2013

ARRUINADOS EM TRÊS ATOS - ATO I estreia a 3 de julho

ARRUINADOS EM TRÊS ATOS - ATO I 
3 a 6 de julho | Colégio da Trindade (Coimbra) | 20h00 | Lotação Limitada 
Entrada Livre sujeita a reserva





ARRUINADOS EM TRÊS ATOS


Dramaturgia: Jorge Louraço Figueira
Direção: Isabel Craveiro
Figurinos da trupe Faunos do Rio: Patrícia Mota
Direção Musical: Rui Lúcio
Consultor Artístico: Deolindo Pessoa
Grafismo: Unit.Lab
Fotografia: Carlos Gomes
Direção de Produção: Cátia Oliveira
Assistência de Produção: Bárbara Queirós e Rubi Girão (Estagiária)
Produção Executiva: Nuno Carvalho
Direção Técnica: João Castro Gomes
Equipa Técnica: Alexandre Mestre, João Castro Gomes, Jonathan de Azevedo, Rui Capitão
Direção de Cena: Pé de Cabra, Inês Maia, Elena Castro e Inês Gregório
Comunicação e Divulgação: Inês Mourão, Margarida Sousa e Pedro Lamas

ATO I
Colégio da Trindade (Coimbra)

Elenco: O TEATRÃO | João Santos, Margarida Sousa, Nuno Carvalho e Rosa Marques
ALUNOS DAS CLASSES D’ O TEATRÃO | Beatriz Sequeira, Carina Santos, Carlos João Santos, Eduardo Faria, Francisco Caetano, Guilherme Lima, Jorge Reis, José Gonçalves, Licínia Carvalho, Liliana Almeida, Luísa Ramalho, Luísa Rebelo, Maria Barros, Maria Inês Rosário, Mariana Carvalho, Mariana Matos, Miguel Fonseca, Nuno Gomes, Rafael Torres, Raquel Margalho, Rita Melo, Sílvio Carvalho, Sofia Alves Coelho, Susana Agostinho, Susana Ladeira  
TEATRO AMADOR DE RIBEIRA DE FRADES |Fernando Gramacho, José Malhão, Rita Barreira e Sofia Barreira
GRUPO DE TEATRO DO C.C.D.S. DE S. FRUTUOSO | Carlos Costa
TASS – TEATRO AMADOR DE S. SILVESTRE | Carolina Sangalhos, Leandro Pimentel
GRUPO DE TEATRO DE SOBRAL DE CEIRA | António Amado, Lara Amado, Cátia Rafael Massena  
Cenografia e Figurinos: Filipa Malva
Desenho de Luz: Jonathan de Azevedo
Interpretação Musical: Grupo Vocal Ad Libitum e  Cherubinni Ad Libitum
Construção de Espaço Cénico: José Baltazar, William Ouwerkerk, Laurindo Fonseca e António Oliveira
Costureiras: Dª Albertina Vilela, Fernanda Tomás, Dª Isabel Félix
Parceiros: Câmara Municipal de Coimbra; Universidade de Coimbra