quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

Estreia a 7 de Fevereiro: O Efeito dos Raios Gama nas Margaridas do Campo

Grafismo de Sofia Frazão
Foto de Paulo Abrantes

A 33ª produção d' O Teatrão, O Efeito dos Raios Gama nas Margaridas do Campo, de Paul Zindel, com encenação de João Mota, director artístico d' A Comuna - Teatro de Pesquisa, tem estreia prevista para dia 7 de Fevereiro e conta com a colaboração da IX Semana Cultural da Universidade de Coimbra. A peça proporcionou, em 1971, o Pulitzer Prize for Drama ao autor.
Sinopse: Beatriz Hunsdorfer é uma mulher amarga, de língua afiada, que recebe em casa uma velha inválida como inquilina para ajudar a criar as suas duas filhas. Uma das filhas, Rute, é bonita e tem, frequentemente, ataques epilépticos. Matilde, a filha mais nova, não tem beleza aparente e é quase patologicamente tímida, possuíndo, no entanto, um talento intuitivo para as ciências. Motivada pelo seu professor de Física, Tillie realiza uma experiência sobre os efeitos dos raios gama nas margaridas do campo. Com esta experiência, Tillie ganha o prémio no concurso de ciências na sua escola – e provoca também o clímax arrasador da peça: orgulhosa e invejosa e, simultaneamente, demasiado afectada com as suas próprias mágoas para aceitar o sucesso da sua filha, Beatriz só mutila quando precisaria amar, critica quando quer louvar. Torturada, ela é vítima quer da sua própria natureza quer da cruel realidade que é a sua vida. Mesmo assim, a experiência de Tillie discute a possibilidade de que uma vida cheia de esperança pode surgir dum solo infértil e contaminado. Esta é a questão intemporal da peça, a raiz do seu poder emocionante e da sua verdade.


Site oficial do autor: http://www.paulzindel.com/
Maiores de 12
7 a 25 de Fevereiro e 7 a 18 de Março
Sessão especial a 27 de Março (Dia Mundial do Teatro)
Quarta a Sábado: 21h30 / Domingo: 19h00
Museu dos Transportes - Rua da Alegria (atrás do Hotel Ibis)

3 comentários:

João Santos disse...

"O efeito dos raios gama nas margaridas do campo" foi uma peça fabulosa! Acho a ideia de colocar os espectadores lado a lado com os actores é algo diferente e interessante. Acho que os efeitos e as personagens estão muito fixes. Parabéns e continuem assim!

alguém! disse...

Também gostei da ideia de colocarem a audiência no palco à volta do cenário. Diferente... =)

Sete-Luas disse...

Tenho a certeza que esta será sempre uma das minhas peças de referência. Um dia que esteja novamente em cena, estarei certamente presente.

Todos os personagens interpretados foram fantásticos, em especial a Beatriz pelo seu lado cómico-agressivo, talvez por ter ficado sentada junto ao telefone e o contacto com esta tenha sido mais próximo. Seja como for, parabéns a todos!

Beijo*